4 de mai de 2013

Organize seu plano de estudos

A preparação para o Enem depende de seu tempo disponível até o exame e exige método e disciplina. Professor da área orienta como você pode fazer seu plano


Alexandre Linares

Fonte: Eurodata

O Enem é uma prova única. Abrangente como os vestibulares em relação ao conteúdo, ele exige também o domínio de um rol de habilidades e a capacidade de leitura de textos, gráficos, imagens e mapas. Mas, além disso, com a duração de dez horas distribuídas em apenas dois dias, com 180 questões e uma redação, é uma prova de resistência. É preciso manter a concentração e o raciocínio até o fim. Por tudo isso, uma boa preparação faz a diferença.

Preparação é antes de tudo a organização do estudo, o único meio de garantir o resultado almejado na prova. Mas também é a preparação física e mental para superar a maratona do exame. Nisso tudo, o bom uso do tempo é a questão-chave.
                               
Quanto tempo Você tem?

O tempo é sua matéria-prima para o estudo. O que você faz dele decide boa parte de seu resultado. Por isso, planejar o uso do tempo é a primeira tarefa em nosso plano de estudos.

Em sua preparação para o próximo Enem, temos inicialmente de considerar o tempo disponível de duas maneiras:

  • seu tempo de hoje até a data da prova: quantos dias você tem pela frente até o Enem;
  • seu tempo diário de estudo: qual número de horas você vai dedicar ao estudo a cada dia.
Se você. tiver quatro meses de estudo e bastante tempo diário disponível, terá condições de fazer um plano de estudos amplo e variado; mas, se contar com apenas um mês até o Enem, e poucas horas por dia, seu planejamento deverá ser muito mais concentrado.

Definindo seu calendário

Organizar seu tempo é decidir prioridades. É lutar contra o sono de manhã e o cansaço de noite para esticar o estudo. É não se perder nas redes 'sociais nem no entretenimento. Conversar com amigos on-line ou ver TV são tentações permanentes, mas podem ser um obstáculo quando consomem seu tempo de estudo, às vezes sem que você perceba.

Para organizar o tempo, nada mais útil que montar um calendário de dias que faltam até a prova. É nele que você vai pôr em ordem suas atividades cotidianas: dia de estudo de conteúdo de cada matéria, dia de simulado, dia de passeio cultural.

Tempos diferentes, planos diferentes

A próxima etapa é personalizar seu plano de estudos, pois cada pessoa terá um prazo diferente até o Enem e um variado número de horas diárias disponíveis. Para exemplificar, vamos escolher algumas possibilidades.
  •  Se você está começando sua preparação QUATRO MESES OU MAIS antes da prova, seu plano será extensivo, podendo trabalhar com uma boa revisão das áreas do conhecimento e explorar muito mais o treino de redações.
  •  Se você tiver DOIS MESES até a prova, seu plano será semi-intensivo, mais focado nas provas anteriores, no estudo de resumos dos conteúdos que caem na prova e na produção de redações.
  • Se você contar com apenas UM MÊS, precisará de um plano totalmente intensivo, baseado nas provas anteriores e na produção de redações.

Do mesmo modo, o número de horas livres em seu dia também fará diferença. Dispor de seis ou oito horas livres para o estudo é bem diferente de só ter uma ou duas horas diárias, o que implica planos distintos. Com pouco tempo, às vezes o aluno estuda no horário de almoço, no trabalho, no transporte coletivo e em casa, antes de dormir. Em muitos casos, seu plano pode misturar diversas situações: por exemplo, pouco tempo de estudo nos dias úteis, mas fins de semana mais livres que permitem compensar o tempo perdido.

Rotina diária de estudo

Não adianta querer num só dia estudar todos os conteúdos do Enem ao mesmo tempo. Isso só vai confundir sua cabeça. Mas também se deve evitar passar o dia inteiro estudando a mesma matéria, pois você ficará saturado e não conseguirá fixar muita coisa (sabia que é por isso que na escola o tempo é dividido em aulas de 50 minutos de diversas matérias?). Assim, o plano de estudo diário deve ser variado, com um certo tempo para cada disciplina. Além disso, é preciso incluir pequenas pausas: entre o estudo de um conteúdo e outro, você. pode descontrair-se por alguns minutos, ir ao banheiro, fazer um lanche rápido ou ir à janela olhar o horizonte. Isso ajuda a retomar o estudo, restabelecendo a concentração necessária. Então, além do calendário geral, você deve preparar sua agenda diária de estudo. Com ela, você planeja o que vai fazer a cada hora do dia.

Manhã, tarde e noite

Para quem pode, o ideal é usar o tempo nos três períodos de modo bem distribuído. É pouco produtivo passar o dia lendo vários livros, assim como não adianta só ver videoaulas pela internet.

O que fazer de manhã? O que fazer à tarde? O que fazer à noite? É você quem deve responder a essas perguntas. Pode decidir, por exemplo, que vai gastar suas manhãs com temas de atualidades nas várias áreas do conhecimento, com base na leitura de um jornal diário.

Se você tem pouco tempo, como duas horas diárias, o jornal pode ser substituído por uma revista semanal nos fins de semana. À tarde, pode dedicar-se ao estudo de cada área, por 50 minutos, com pausas de dez minutos entre um bloco e outro. De noite, pode assistir a um filme útil para se preparar para o exame. Em sites especializados em vestibular, como o do GUIA DO ESTUDANTE (www.guiadoestudante.com.br), você encontra listas de filmes de ficção e documentários úteis para aliar o entretenimento com a preparação para o Enem.

Um lugar para estudar

Em seu local de estudo, você consegue se concentrar? Ter um canto para estudar com foco é fundamental. Pode ser um espaço no quarto, na cozinha ou na sala. Mas é preciso haver alguma tranquilidade.

Um ambiente com muitas pessoas, barulho e TV ligada é um obstáculo para seu plano de estudos. Mesmo que o uso de fones de ouvido para escutar algum tipo de música instrumental, de modo moderado, possa ajudar a aumentar sua concentração (diminuindo o impacto dos ruídos), isso não fará efeito se houver alguém chamando sua atenção para ver algo na televisão ou na internet.

É necessário ter consciência de que sua residência é um lugar coletivo da família, e nem sempre é possível convencer a todos de que é preciso um lugar silencioso para seu estudo. 

Neste caso, o melhor é buscar um espaço fora de casa. Uma biblioteca pública ou a de sua escola, um centro cultural ou a casa de algum parente ou amigo são outras opções.

Mas, no fim das contas, você deve usar os lugares disponíveis. Por exemplo, se fica muito tempo no transporte coletivo e acha ruim ler em movimento, pode baixar videoaulas no celular e ouvi-las em seu trajeto diário.

Treinando a leitura

Em seu plano, treinar a leitura é uma questão-chave para o Enem. A prova exige muito a "competência leitora", que é a capacidade de a gente entender o que está lendo. Muitas vezes, no Enem, a resposta já está na pergunta.

O hábito de ler é sempre uma vantagem. Quem lê bem se dá bem na prova. Para ler bem, é preciso praticar a leitura. Com um jornal diário, ou ao menos uma revista semanal ou um jornal de domingo, você terá uma boa quantidade de conteúdo para ler e pensar. Se puder reler seu material escolar do ensino médio, sem dúvida ajudará muito, com ganho de conteúdo.

Entendendo o que se lê

Para ler bem é preciso entender a linguagem que aparece na prova. Para começar, é necessário sempre tentar aprender as palavras desconhecidas em provas anteriores do Enem e nos próprios materiais didáticos. Não deve existir o "eu acho". O lema é saber e pensar. E saber exige pesquisa. As eventuais dificuldades do vocabulário que é usado no Enem não são um mero acaso. São uma ação consciente dos elaboradores da prova, que prevê o uso de certo número de termos e palavras mais complexos.

Por tudo isso, preparar-se para o Enem é a cada dia ampliar seu vocabulário e dominar com mais segurança a língua portuguesa. Nossa dica: tenha um caderno só para as novas palavras, no qual você anotará cada palavra sobre a qual tem dúvidas, e aí buscará seu significado. Pode estar certo: o melhor amigo do estudante é um bom dicionário.

Desvendando conceitos

Mas a questão não são apenas as palavras, pois o Enem trabalha com conceitos de diferentes áreas: geopolítica, saúde, história... Para aprender conceitos e ter referenciais confiáveis, uma das melhores ferramentas é o ALMANAQUE ABRIL, uma minienciclopédia portátil tão útil como ter um professor na mochila. Usar a Internet também pode ser útil, desde que você seja capaz de achar boas fontes de informação e não se desviar do estudo. Se você se perde nos bate-papos nas redes sociais, o melhor é nem se aproximar do computador nas horas dedicadas ao estudo.

Lendo tabelas e gráficos

Para ir bem no Enem, um dos pontos importantes é dominar a leitura de gráficos e tabelas. Para isso, uma dica infalível é ler o caderno de economia de um grande jornal. É nessa parte dos jornais que você encontrará mais gráficos e tabelas. Mas não basta apenas "olhá-los", é preciso traduzi-los para sua compreensão, entender as informações que estão ali, o que exige concentração e esforço.

Anotando e refletindo

Elaborar cadernos de anotações durante o estudo é uma estupenda ferramenta. Aprende mais e melhor aquele que escreve. Quem pesquisa e escreve sobre o que estuda fixa mais o aprendizado. Assistir a aulas ajuda. Ler sobre o tema reforça a aula. E escrever fixa e completa. Ao fazer isso, você estará formulando o conhecimento de uma forma mais didática para si próprio, o que permite reter o conhecimento, que passa a fazer parte de você. Então, quando estudar, escreva o que está entendendo. Traduza as conclusões da leitura de um gráfico. Anote suas dúvidas, para refletir sobre elas e buscar uma resposta satisfatória. Assim, você treinará em seu estudo geral das diferentes áreas e disciplinas da prova de modo a buscar argumentos e ordenar sua defesa de forma consistente. Além de ajudá-lo a responder às questões nas quatro áreas do Enem, vai prepará-lo ao mesmo tempo para fazer a redação.

Correndo contra os minutos

Por seu tamanho, com 180 questões, o Enem requer um treino específico: o de velocidade de leitura e resolução de questões. No Enem, você terá 135 minutos para ler, pensar e responder às 45 questões de cada área. E ainda terá de comer algo e ir ao banheiro. Na prova, muitos estudantes se veem nos últimos instantes sendo obrigados a "chutar" questões sem ao menos tê-las lido, por falta de tempo. Na média, trata-se de três minutos por questão, mas é preciso reservar um tempo para passar todas as respostas para o gabarito com calma, sem afobação. Então, podemos dizer que você terá 150 segundos por questão; E um esforço enorme. Para enfrentá-lo melhor, é preciso treinar.

A dica para um bom treino é pegar a cadeira mais dura de sua casa, sentar­se num lugar minimamente silencioso com um relógio com cronômetro e fazer cada questão de uma prova de anos anteriores do Enem, contando o tempo. Se você fizer todas as provas disponíveis no site do MEC de 2009 até hoje (são duas por ano, pois há uma segunda aplicação para presídios e estudantes que têm de refazer a prova), com certeza terá mais facilidade na hora de encarar a maratona na prova deste ano.

O tamanho da prova com 180 questões em dois dias, exige um treinamento específico de leitura e resolução.

Provas anteriores

Em sua preparação, não pode faltar a resolução das últimas edições do exame. O novo Enem - com 180 questões e uma redação - foi implantado pelo MEC em 2009. De lá para cá, houve oito provas diferentes. São quase 1,5 mil questões já aplicadas. Encarar e entender cada uma delas ajudará você a se preparar para o próximo exame. Você não estará simplesmente estudando algo que já caiu, mas, sim, um assunto que deve voltar a aparecer na próxima prova. Trata-se de conhecer o adversário e enfrentá-lo sabendo o que ele já exigiu anteriormente dos candidatos.

A importância da redação

Dê atenção especial às redações. Pode­se dizer que é a nota mais importante do Enem, que pode compensar dificuldades em outras áreas. Você pode treinar com os temas aplicados no Enem desde 1998 (http://portal.inep.gov.br/web/enem/enem). São quase 20 propostas. Peça a alguém para lê-las. Se tiver amigos se preparando para o Enem, troque as redações e avalie-as coletivamente. Faça ao menos uma redação por semana, o mínimo para uma boa preparação.

Simular condições de prova

Fazer as provas anteriores do Enem é uma forma de medir os resultados de seu estudo. Você deve usar as mesmas regras do Enem: quatros horas e meia para as duas primeiras provas e cinco horas e meia para as duas últimas e a redação. Faça o simulado sem interrupções em um lugar semelhante: silencioso e com uma cadeira dura. Dessa forma, treinará também para o desafio físico da prova. Controlar seu tempo simulando o Enem é uma oportunidade boa de se antecipar a todos os eventuais problemas. Planejar a ida ao banheiro a cada 60 minutos de prova ou a cada 30 questões, ou fazer um lanche nessas pausas. Tudo isso é treino de batalha. Ao se colocar no próprio campo de prova, com as mesmas condições, você toma consciência de seus limites e dificuldades e se prepara para superá-los.

Se perceber que é necessário ler mais rápido, busque formas para acelerar a leitura. Se precisar fazer cálculos mais ligeiros, treine com exercícios. Não desanime com os primeiros resultados. O simulado é um teste. Você pode errar sem medo. Com os erros, descobre os pontos fracos e pode corrigi-los.

Resolver o Enem de anos anteriores nas mesmas condições da prova é um treino para reforçar sua resistência. 

Reta final: calma e tranquilidade

Os dias que antecedem a prova merecem um planejamento detalhado.
Se você trabalha, tente tirar férias antes. Se não for possível, negocie ao menos um ou dois dias de folga.

Depois de um período de semanas ou meses de estudo, a véspera não vai resolver suas deficiências. Use-a para descontrair-se de modo moderado, como ir ao cinema ou passear num parque, e, sobretudo, descansar, dormindo bem. Quem estiver descansado na manhã do sábado de prova terá uma vantagem, pois nos dois dias de Enem você será consumido fisicamente.

No próprio dia, o maior adversário não é a prova, mas você mesmo. A ansiedade, a insegurança e o medo são os obstáculos a superar, pois ocupam nossa cabeça com pensamentos que atrapalham. O primeiro ponto é ter calma e foco. Encarar cada questão com tranquilidade é a melhor forma de atingir seu objetivo.


LINARES, Alexandre. Organize seu plano de estudos. Curso Pré Enem. São Paulo: Abril,  2013. 



4 comentários:

Anônimo disse...

Ótimas dicas, obrigada!!

Karine Siqueira disse...

obrigada pelas dicas, ajudou muito

Toninho disse...

Parabes otimas dicas

Victor Hugo Fernandes disse...

Realmente muito bom artigo... Ainda estou no primeiro ano, mas seu texto foi tão bem montado que me vai me ajudar por completo no meu planejamento e treino para programas de avaliação seriada, e, futuramente, o próprio ENEM. Muito obrigado, vou até salvar o texto para o caso de você ter que apagar o site ou algo do tipo. Abraço!

.