23 de jan de 2013

Concursos: como encontrar seu lugar no setor público

Optar pela carreira de servidor e decidir em qual segmento dela atuar nem sempre é tarefa fácil. Especialistas orientam aspirantes na missão



As diferentes esferas do setor público oferecem condições atraentes para profissionais que sonham em atuar nesse segmento do mercado e também para aqueles que procuram boas oportunidades de trabalho em geral. Entre os atrativos, destacam-se salários (em média mais altos do que os pagos no setor privado), planos de carreira definidos e, é claro, estabilidade. Em alguns casos, é relativamente fácil saber a que lugar da administração pública o candidato é mais adequado. É o caso dos formados em direito, cuja graduação é exigência para o preenchimento de vagas de juízes e procuradores, por exemplo.

Optar pela carreira de servidor e decidir em qual segmento dela atuar, contudo, nem sempre é tarefa fácil. As vagas oferecidas pelos diferentes órgãos públicas são taxativas quanto ao grau de escolaridade dos candidatos. Por exemplo: o candidato deve ter ensino médio completo em determinado concurso; em outro, superior. Porém, em muitos casos, essa é a única exigência, ou seja, podem se apresentar para o posto profissionais com formação diversa.

Este é apenas um item que o aspirante a servidor deve levar em conta. Para dedicar-se à missão de ser aprovado em um concurso – tarefa que, em média, consome ao menos um ano de estudos –, ele precisa analisar sua disponibilidade para a preparação e sua vocação profissional. VEJA.com ouviu especialistas para orientar aspirantes na tarefa: os estudiosos apresentam questões cruciais que devem ser consideradas pelo candidato.

O primeiro passo, dizem os especialistas, é determinar para qual área o candidato vai dirigir suas energias. Estudar sem um foco claro é um erro comum e determinante para o fracasso.

Foram ouvidos Evandro Guedes, diretor administrativo do curso preparatório AlfaCon, e José Luis Romero Baubeta, diretor de recursos humanos do curso preparatório Central de Concursos.

Passo a passo para a escolha de um concurso público

Qual é seu perfil profissional?

Antes de escolher em qual concurso público mirar, é preciso refletir se as atividades do funcionalismo público vão ao  encontro de suas expectativas.

Não há dúvidas de que o serviço público oferece inúmeras vantagens. A primeira delas são os salários. Em média, um servidor recebe 93% a mais que um funcionário da iniciativa privada. Outro ponto positivo é a estabilidade – demissões são casos raros e os servidores não estão à mercê de crises econômicas nem flutuações no mercado de trabalho. Por fim, o setor público oferece mais qualidade de vida a seus empregados, com jornadas de trabalho definidas e menos horas-extras.

Apesar do quadro animador, existem ressalvas: o setor público é pouco dinâmico e bastante burocrático. Profissionais com perfil empreendedor e que gostam de se deparar a todo momento com novos desafios no ambiente de trabalho poderão se frustrar, assim como aqueles que buscam uma rápida ascensão profissional. Além disso, uma boa colocação no funcionalismo, que pode trazer remuneração acima de 10.000 reais, exige anos de preparação. É preciso ser paciente e determinado nos estudos. E, acima de tudo, se perguntar: você tem disposição para tanta dedicação? 

O que diz o especialista:

“É preciso haver identificação com a carreira pública. Se um candidato não gosta de armas, ele não pode se preparar para um concurso da Polícia Rodoviária Federal apenas porque o salário é atraente. Profissionais muito empreendedores também precisam refletir sobre a opção de migrar para o setor público, que é mais 'engessado' e burocrático.”
Evandro Guedes, diretor administrativo do curso preparatório AlfaCon

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Qual é sua disponibilidade para os estudos?

A aprovação em um bom concurso público pode exigir anos de estudos. É preciso estar financeira e psicologicamente preparado para dedicar-se aos livros. Para quem deseja aprovação imediata ou precisa de uma remuneração fixa para seguir estudando, os especialistas aconselham: comece com provas para cargos mais baixos, que são feitas com frequência, oferecem muitas vagas e são menos concorridas. É o caso de concursos para a área bancária. Uma vez aprovado, o candidato pode obter remuneração em torno dos 3.000 reais e seguir se preparando para provas mais concorridas e salários mais atraentes em outros órgãos. 

Quem está empregado na iniciativa privada e não quer ou não pode abdicar do trabalho para dedicar-se às apostilas, deve conciliar as atividades. Mas é preciso muita disciplina e força de vontade. Aprovação em concurso público não é um plano de curto prazo. É preciso bastante preparação. O candidato deve se questionar se está disposto aos sacrifícios necessários.”
 José Luis Romero Baubeta, diretor de recursos humanos do curso preparatório Central de Concursos

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Qual é o seu grau de escolaridade?

Em geral, os concursos são divididos em duas categorias, conforme o grau de exigência em relação à formação acadêmica dos candidatos: os de nível médio e os de nível superior. Na primeira modalidade, os salários podem chegar a 7.000 reais. Na segunda, o teto salarial é de cerca de 28.000 reais.

Esse é o grande divisor de águas na área de concurso público. E determina: quem quer vencimentos mais altos, precisa estudar mais.

O que diz o especialista:

"Em todas as esferas e áreas existem oportunidades para servidores de níveis médio e superior. O diferencial é o salário e o grau de dificuldade. Muitos estudantes que ainda estão cursando a universidade recorrem aos cargos de nível médio para custear sua formação. Assim que finalizam a graduação, passam a almejar postos mais altos, que exigem diploma."
Evandro Guedes, diretor administrativo do curso preparatório AlfaCon

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Em qual esfera você deseja atuar?

As três esferas do poder – municipal, estadual e federal – realizam concursos públicos para preencher seu quadro de funcionários. Em geral, as vagas municipais oferecem salários bem menos atraentes do que as demais. Já as vagas federais são as mais cobiçadas, por  oferecerem remuneração mais alta e benefícios diferenciados, como aposentadoria integral.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Quais são as grandes áreas de atuação do servidor?

Os concursos públicos podem ser divididos em seis grandes áreas, sendo que em todas elas há lugar para profissionais com formação de nível médio e superior. É hora de analisar as atribuições de cada uma e eleger aquela com a qual você tem mais afinidade. Nessa etapa, o candidato pode visitar repartições públicas e conversar com pessoas que já foram aprovadas para as funções que despertem seu interesse. Conheça as áreas:

Bancária
Ex.: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal

Policial
Ex.: Guarda Metropolitana, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal

Fiscal
Ex.: Receita Federal, secretarias estaduais de Fazenda

Administrativa
Ex.: Agências reguladoras (Anvisa, Anac), ministérios, Ibama, INSS, Correios, Petrobras

Tribunais
Ex.: Tribunais federais, tribunais regionais, Defensoria Pública

Especiais
Ex.: Instituto Rio Branco

O que dizem os especialistas:

“As áreas são bastante distintas. Quem se dedica a conquistar uma vaga na Polícia Federal dificilmente conseguirá aprovação em um concurso da Receita Federal. Por isso, estabelecer um foco de estudo é fundamental. É impossível estudar para todas as áreas ao mesmo tempo.”
Evandro Guedes, diretor administrativo do curso preparatório AlfaCon

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Quando é preciso ter formação superior específica?

Com exceção de determinadas vagas na área policial e de tribunais, a esmagadora maioria das vagas de nível superior não exigem formação específica. Qualquer pessoa com diploma universitário está apta a entrar na disputa. Apenas candidatos a postos na área policial terão de enfrentar testes físicos. Em alguns casos particulares, órgãos municipais, estaduais e federais realizam concursos para profissionais específicos, como engenheiros ou enfermeiros. Nesses casos, as vagas são bastante limitadas.

O que diz o especialista:

"Não existe uma norma dizendo que apenas contadores ou economistas podem ser auditores da Receita Federal, por exemplo. É claro que quem adiquiriu conhecimentos de matemática financeira na universidade terá mais facilidade em se preparar para a prova. Isso não quer dizer, porém, que outros profissionais estejam mais distantes da aprovação." 
José Luis Romero Baubeta, diretor de recursos humanos do curso preparatório Central de Concursos
-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

É preciso mudar de cidade para disputar boas vagas?

Grandes órgãos federais, como o Banco Central, por exemplo, possuem repartições apenas em capitais. Na área jurídica, boas oportunidades podem surgir em tribunais regionais longe da cidade natal do candidato. Por isso, o concurseiro interessado nas melhores vagas deve estar disposto a se mudar, principalmente aqueles que almejam postos federais e estaduais. Quem reside em cidades do interior e não deseja se restringir a concursos municipais dificilmente encontrará boas oportunidades se não estiver disposto a fazer as malas.

O que diz o especialista:

“Esse é um ponto importante, que precisa ser levado em conta. Se o candidato tem receio de mudar de cidade, precisa escolher concursos que permitam que ele fique em seu município. Já quem está disposto a se mudar deve colocar na ponta do lápis o custo de vida em outras localidades. A mudança pode não valer a pena financeiramente.”
José Luis Romero Baubeta, diretor de recursos humanos do curso preparatório Central de Concursos

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

É preciso estudar por quanto tempo?

Essa não é uma conta fácil de fazer. O tempo médio de estudo pode variar – e bastante. Geralmente, quanto maior a remuneração, mais difícil é o exame. Para cargos de nível médio e alguns de nível superior, a média de preparação é de seis meses a um ano. Para os salários mais altos, pode ser necessário enfrentar de quatro a cinco anos de muita dedicação. É importante lembrar também que os concursos não são realizados regularmente. Alguns editais levam anos para ser aprovados – o que pode retardar ainda mais a aprovação.

O que diz o especialista:

"Aprovação em concurso público exige persistência. É preciso insistir para chegar ao objetivo. Por isso, dedicar-se a conquistar uma vaga requer uma conversa franca com a família e com os amigos mais próximos para que todos estejam cientes dos sacrifícios que terão de ser feitos."
Evandro Guedes, diretor administrativo do curso preparatório AlfaCon





GOULART, Nathalia. Concursos: como encontrar seu lugar no setor público. Veja. Acesso em: 23/01/2013. Disponível em: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/concursos-como-encontrar-seu-lugar-no-setor-publico.

0 comentários:

.