31 de mai de 2011

"Cyberbullying": a face oculta do inimigo

11 de setembro de 2001, Nova York. 11 de março de 2004, Madrid. E tantas outras datas... E cidades atingidas por um... não se sabe o quê. Vindo de não se sabe de onde. A vítima pode ser você. Ou qualquer um. Em qualquer lugar. O inimigo não tem rosto.

Se pensa estar imune a este tipo de ameaça só porque se encontra na comodidade de seu lar, espie o quarto ao lado. Mas vá de mansinho. Não assuste o inimigo. O terrorismo aqui tem novo formato. No lugar de bombas... humilhações, intimidações e crueldades. No lugar de grandes extensões de terra... as quatro paredes que olham por seu filho (ou deveriam).

O inimigo continua desfigurado. Mas uma coisa é certa: não espere que o “cyberbullying” bata a sua porta, ele chega pela web. Não sendo possível identificar a sua fisionomia, tranquilize-se, é possível o seu combate. Quer saber como? Leia com atenção as recomendações abaixo e assegure o bem-estar de seu filho, antes que de virtual o perigo se torne real:

Sob a capa do anonimato

O termo é recente, mas “cyberbullying” já começa a entrar nos ouvidos da opinião pública e deve ser considerado e condenado, sobretudo por pais, educadores e - por que não? - pela justiça. O grande vilão infanto-juvenil da modernidade, resultado de atos premeditados e repetidos de violência moral ou psicológica, praticados para intimidar ou agredir alguém do outro lado da rede, já está no “hall” dos crimes cibernéticos.No leque de delitos virtuais, o Orkut (Comunidade Virtual de Relacionamentos), um ambiente originalmente criado para integração, disputa o ranking dos mais perigosos, pois vem criando um espaço de apologias e prática de crimes informáticos que afrontam o direito de personalidade preconizado no Código Civil Brasileiro.

Pois bem. Você sabe por quais universos aquela inocente criança, sentada logo ali, no quarto ao lado, anda navegando? O quê?!? Ela está com um celular na mão?!? Calma, talvez seja para enviar torpedos... Ou não. Fique atento. Não deixe que a paranóia global tome conta de seus ânimos, mas também não coloque seu filho em risco. A verdade é que pode não ser nada. Mas ainda assim, certifique-se ?. Confira os ‘favoritos’ de seu filho, apenas conversando e esclarecendo-o sobre os riscos da superexposição virtual.

Desde que o mundo é mundo, pessoas se relacionam por sobrevivência. Amam-se. Matam-se. Elogiam-se. Agridem-se. Por sobrevivência. E o universo infantil pode ser dos mais cruéis, entre redes espontâneas ou virtuais. Ali, desde cedo, formam-se largas aldeias globais, hoje regidas por mídias interativas, justapostas e sobrepostas, sob a interseção do interesse comum. São vínculos que, entrelaçados, formatam personalidades sob um complexo mutável de teias. Laços que, multiplicados, garantem a coesão de uma civilização e confirmam também o nocivo do homem. Sem face.

Clique aqui e confira uma entrevista com Rosana Hermann*, autora de Presas na Teia e co-autora do livro on-line Para Entender a Internet, e conheça mais sobre o fenômeno moderno que se utiliza da imagem como instrumento de destruição em rede. Combater o “cyberbullying” é uma questão de cidadania: proteja o alvo, ele ainda está em formação.

_________. "Cyberbullying": a face oculta do inimigo. Conexão Professor. Disponível em:http://www.conexaoprofessor.rj.gov.br/temas-especiais-26c.asp. Acesso em: 31/05/2011.

0 comentários:

.