1 de fev de 2013

Universidades de elite oferecem cursos gratuitos pela internet; ritmo de estudo é intenso


Os Moocs (sigla em inglês para cursos massivos abertos online) são o assunto do momento em ensino a distância. Aulas de universidades americanas de elite como Yale, Harvard ou Princeton podem ser assistidas gratuitamente por qualquer pessoa que tenha acesso à internet em sites como edX e Coursera.

Estes são os maiores atrativos para quem procura educação de qualidade. No entanto, não basta se inscrever. O ritmo de aulas é puxado e exige dedicação e disciplina.
UOL se inscreveu na Coursera, um dos Moocs mais populares, para ver se é possível conciliar os estudos com a vida profissional e a pessoal de um jornalista.
O curso escolhido foi "Introdução à Sustentabilidade", da Universidade de Illinois, com duração de dois meses.
A cada semana, um novo tema era abordado: população, ecossistema, mudanças climáticas, energia, agricultura e recursos hídricos, política e economia ambiental e, finalmente, sustentabilidade, ética e cultura. 
Cada um dos módulos deveria ser completado em sete dias, totalizando de 10 a 12 horas de estudo por semana, sem contar a leitura de textos sugeridos e as tarefas. Como o curso foi formatado em sete dias, durante o final de semana e-mails eram enviados aos inscritos para que dessem seguimento aos estudos.
As atividades obrigatórias listavam a leitura de um livro de 643 páginas (disponível para download) e a participação em dois fóruns de discussão. Um geral, com colegas do mundo todo que se inscreveram no curso, e outro com perguntas e respostas de especialistas. Ao final, seriam criados dois projetos relacionados à sustentabilidade.
O idioma inglês não foi problema. No entanto, a jornalista não deu conta das tarefas, feitas depois do expediente de trabalho e que tomavam quase duas horas do seu dia.
A experiência ajuda a entender os altos números de evasão. O curso "Pense novamente: como raciocinar e argumentar", oferecido pela Universidade de Duke no Coursera, teve 180 mil inscritos, informa o jornal Charlotte News Observer. Na oitava semana de aulas, apenas 26 mil alunos eram considerados ativos, sendo que só metade deles tinha feito os exercícios esperados para aquela semana.

DICA PARA MOOCS

Planejamento e dedicação sistemática são duas coisas que farão diferença para quem pretende se juntar ao universo de usuários que já aderiram ao Moocs. Somente na Coursera, são cerca de 2 milhões de pessoas, com alunos dos EUA sendo a maioria (38,5%), seguido do Brasil (5,9%), Índia (5,2%) e China (4,1%).
Realizar todas as tarefas no dia em que são pedidas também evita o acúmulo no fim de semana e, apesar do volume de postagens, a participação em fóruns conta muito em cursos virtuais.
"A educação poderia ser mais acessível a todos se houvesse flexibilidade para que cada pessoa estudasse no seu próprio ritmo", diz Tanushree Kaushal, 18, aluna do ensino médio em Nova Déli (Índia) que teve dificuldades para terminar as tarefas dentro do prazo pedido pelos cursos online.
Mas isso não se tornou um empecilho.  Tanushree já completou seis cursos Moocs e atualmente faz mais dois. Um de microeconomia para cientistas e outro de cálculo.
Claro que as dificuldades vão depender do tipo de curso escolhido. No entanto, o inscrito deve estar consciente do tempo que terá de dedicar ao Mooc antes de se inscrever indiscriminadamente em todos os cursos que julgar atraentes.

Confira 23 sites gratuitos para aprender de literatura a gestão de empresas

1º - Agronegócio (eadsenar.canaldoprodutor.com.br/cursos) - Voltado para o empreendedorismo no meio rural, o Canal do Produtor ensina noções de gestão da propriedade, otimização de negócios e capacitação de mulheres, entre outros assuntos de interesse ao agronegócio 

2º - Como funciona  (www.hsw.uol.com.br) - Este site é um compêndio de curiosidades sobre o mundo em que vivemos. Seu nome em inglês é "how stuff works", mas os textos estão em português. Ele ensina como as coisas funcionam. E isso pode ser de bombas nucleares à pílula do dia seguinte, passando por motores de carro.

3º - Coursera (www.coursera.org) -Somente em inglês, o site reúne mais de cem aulas online de universidades americanas, como a Universidade de Stanford (na foto). Um sistema de busca por assunto de interesse se encarrega da localização de cursos ofertados. Não se engane: como a maioria das instituições de ensino superior, as americanas exigem muita leitura como tarefa de casa e participação ativa na interação virtual.

4º - Domínio público (www.dominiopublico.gov.br) - Biblioteca digital com acervo diversificado, que inclui clássicos da literatura, como a obra completa de Machado de Assis, estudos sobre educação e teses de pós-graduação em várias áreas, entre outros assuntos. O conteúdo é baixado para o computador.

5º - Empreendedorismo (www.ead.sebrae.com.br/hotsite/cursos) - Cursos abertos do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) para empreendedores. Tratam do mercado de varejo, planejamento e gestão e atendimento ao cliente, entre outros temas de interesse.

6º - FGV online (www5.fgv.br/fgvonline/Cursos/Gratuitos) - A Fundação Getulio Vargas oferece cursos gratuitos e variados com duração de 5 horas a 30 horas. Os assuntos são, por exemplo, "sustentabilidade para professores do ensino fundamental", gestão de empresas e pessoas e a "Era Vargas". Há disciplinas de aplicação prática para o dia a dia, omo organizar o orçamento doméstico e investir na aposentadoria.

7º - Física e química (www.labvirt.fe.usp.br) - O Laboratório Didático Virtual é uma iniciativa da USP (Universidade de São Paulo). Nele, há animações sobre física e química feitas a partir de sugestões de alunos do ensino médio das escolas da rede pública. Acesse também dicas de sites interessantes e projetos educacionais. Se não conseguir abrir as animações, copie os links diretamente no browser do seu computador.

8º - Fundação Bradesco (www.ev.org.br/Paginas/Home.aspx) - O aluno pode aprender como fazer um currículo e se preparar para uma entrevista de emprego. Há ainda aulas que ensinam a usar o pacote Office, a administrar finanças pessoais e desenvolver aplicativos, entre outras opções

9º - Java (jedi.wv.com.br) - Manuais, prova, exercícios, materiais de referência e videoaulas estão disponíveis neste site do Moodle do DFJUG, grupo de Java que tem entre seus objetivos ensinar de forma livre e gratuita a linguagem Java e as tecnologias a ela associadas. Os temas versam sobre bancos de dados, programação web e segurança da rede, entre outros.

10º - Khan Academy (www.fundacaolemann.org.br/khanportugues/) - Após o sucesso do educador Salman Khan (na foto em palestra com Bill Gates), que alega ter mais de 21 milhões de videoaulas postados em seu site. Aulas de matemática, física, química e biologia foram traduzidas para o português em uma parceria com a Fundação Lemann. Quem tem inglês fluente, pode ir direto à página do Khan Academy e assistir também a aulas de economia, finanças e história.

11º - MIT (ocw.mit.edu/courses/) - O MIT OpenCourseWare disponibiliza o material online de cursos de graduação e pós de 36 departamentos do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) para consulta livre. Por esta razão, não emite certificados e nem serve como crédito para outras universidades. Somente em inglês.

12º - Palestras TED (www.ted.com) - Centenas de vídeos tratam de temas tão variados quanto design, evolução da Aids, funcionamento do cérebro durante partidas de videogames, tecnologia e entretenimento, entre outros. O site tem como jargão "ideias que valem a pena compartilhar". Somente em inglês. Há versões em português, com pensadores brasileiros, como o TEDx São Paulo ( www.tedxsaopaulo.com.br/.

13º - Programação (www.codecademy.com/pt#!/exercises) - A plataforma ensina como fazer programação em computadores, como linguagem html, JavaScript, Phyton, JQuery, entre outras. O sistema também incentiva o aluno a se tornar um professor, formatando aulas que ficam abertas para outros usuários. Somente em inglês.

14º - Química - (condigital.ccead.puc-rio.br/condigital/) - A PUC-RJ (Pontífícia Universidade Católida do Rio de Janeiro) disponibiliza material didático da área de química. Há animações que explicam o que são e como funcionam as pilhas, áudios que tratam do impacto da energia nuclear no ambiente ou sobre cosméticos, entre outras escolhas.

15º - Senai (www.senai.br/ead/transversais/) - O sistema oferece cursos de capacitação para quem está entrando no mercado de trabalho ou está inserido nele. Educação ambiental, empreendedorismo, legislação trabalhista, segurança do trabalho, tecnologia da informação e comunicação e propriedade intelectual são alguns dos materiais de estudo. Em alguns Estados, porém, os cursos estão disponíveis só em material impresso. Checa-se a disponibilidade no próprio site.

16º - Saylor (http://www.saylor.org/) - O site não emite certificados e diplomas, mas suas 17 áreas de estudos ficam abertas para consulta pública. Há temas como psicologia, ciência política, desenvolvimento pessoal e administração de negócios, entre outras. Somente em inglês.

17º - Traduzido (http://veduca.com.br/index.php) - A vantagem do site é ter aulas de universidades estrangeiras renomadas traduzidas para o português. Os temas variam: administração de negócios, jornalismo, direito, educação, engenharia, filosofia e religião, política e geografia, entre outros.

18º - Unicamp (http://www.ocw.unicamp.br/) - O OpenCourseWare oferece aulas de professores da própria Unicamp (Universidade de Campinas), mas a oferta de conteúdo ainda é tímida

19º - Unesp (http://acervodigital.unesp.br/) - O material produzido pelos professores da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), com temas vinculados aos cursos e disciplinas, são reunidos neste site de acesso público. Os temas englobam estudos educacionais e científicos e acervo histórico-cultural..

20º - Univesp (http://www.univesp.ensinosuperior.sp.gov.br/) - A proposta da Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) é oferecer ensino superior público gratuito aos estudantes. A USP (Universidade de São Paulo), a Unicamp (Universidade de Campinas) e a Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) fazem parte da iniciativa. As admissões são por provas organizadas pelas instituições de ensino envolvidas.

21º - USP (http://www.eaulas.usp.br/portal/home) - O site tem cerca de 880 videoaulas abertas ao público em geral, em que professores da USP (Universidade de São Paulo) explicam temas para lá de complexos, divididos por áreas de estudo (Exatas, Humanas e Biológicas). O e-Aulas é um agregador que vai acrescentando, ao longo do tempo, a produção multimídia da universidade.

22º - Yale (http://oyc.yale.edu/) - A famosa instituição de ensino tem uma série de aulas on-line gratuitas. Há estudos sobre astronomia, literatura, religiões, biologia e economia, entre outros, cujo conteúdo é explicado por professores da Yale.

23º - Clássicos digitais - ( www.gutenberg.org/wiki/Main_Page ) - Pelo Projeto Gutenberg, é possível acessar e-books clássicos da literatura mundial para leitura online ou download para leitura em tablets e e-readers.






IZUMI, Claudia Emi. Universidades de elite oferecem cursos gratuitos pela internet; ritmo de estudo é intenso. (adaptado) Uol. Acesso em: 01/02/2013. Disponível em: http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/01/28/universidades-estrangeiras-oferecem-cursos-gratuitos-a-distancia-ritmo-de-estudo-e-puxado.htm. 

0 comentários:

.