12 de mai de 2011

Como as notícias recentes podem cair no vestibular do meio de ano?

Ana Okada

Em São Paulo

Além de cobrarem o conhecimento adquirido no ensino médio, os vestibulares podem utilizar fatos recentes - as chamadas atualidades - como "gancho" para abordar um conceito. Não são cobrados detalhes das notícias, tais como números ou acontecimentos específicos, mas sim o contexto em que elas estão inseridas, explica o professor Reinaldo Scalzaretto, do curso Anglo.

"Não terá uma pergunta do tipo 'em que país mataram o Osama Bin Laden', mas podem perguntar que mudanças podem ocorrer no contexto internacional" , exemplifica.

As provas de meio de ano, explica a professora Vera Lúcia Antunes do curso e colégio Objetivo, podem cobrar atualidades de maneira diversa. Provas maiores, como a da Unesp (Universidade Estadual Paulista), ficam prontas antes, portanto é difícil que caia algo muito recente.

Já processos seletivos mais específicos, como o da FGV-SP (Fundação Getúlio Vargas), ou aqueles voltados para cursos de jornalismo, como o da ESPM-SP (Escola Superior de Propaganda e Marketing), podem cobrar acontecimentos mais próximos do exame.

Apostas

A professora Vera Lúcia aponta os seguintes assuntos como apostas para os vestibulares de 2011:

•enchentes no Rio de Janeiro ocorridas no início do ano;

•terremoto e tsunami no Japão: pode ser cobrado o funcionamento das placas tectônicas e o país também pode virar tema de questões. "Podem vir questões bastante interessantes a partir daí", ressalta Vera;

•China: com a visita da presidente Dilma Roussef ao país, a China e os países chamados "Brics" (Brasil, Rússia, Índia, China e, mais recentemente, África do Sul) podem cair nas provas;

•religião muçulmana e sua importância na África e no Oriente Médio;

•Israel e a Palestina;
•movimentos no norte da África e no Oriente Médio;

•Afeganistão e o Taleban;

•abertura econômica de Cuba;

•dados do último censo brasileiro;

•energia nuclear e o "aniversário" de 25 anos do acidente nuclear em Chernobil, na Ucrânia.

Grandes temas

O professor Scalzaretto aponta três temas que são comuns todos os anos:

•questão ambiental: "Dentro da questão ambiental tem um monte de pequenos assuntos que podem ser cobrados de maneira diferente, tais como aquecimento global, desmatamento e calota polar", diz.

•janela demográfica: "O Brasil está chegando em um momento histórico em que vamos chegar no maior número de população ativa. Esse intervalo de hoje até 2024 é conhecido como 'janela demográfica'; é um momento em que temos um equilíbrio da população. Vários países aproveitaram isso para crescer economicamente, tais como a Coreia do Sul. A china está passando por isso e está aproveitando muito bem. É um assunto quente, difícil, complexo, e vale a pena estudá-lo", explica.

•problemas urbanos: "Todo ano cai problemas urbanos nos vestibulares - enchentes, favelamento, deslizamento de morro, ocupação de áreas de risco etc. A partir de uma foto ou matéria de jornal, é elaborada uma questão", comenta.

Apesar de não serem cobrados detalhes factuais do noticiário, o professor recomenda a leitura de jornais, mas com sabedoria. "Vai ler jornal? Legal, mas tem que saber o que ler e como ler; a leitura tem que ser regida pelo vestibular", diz. Ele explica que o estudante deve observar as notícias que tem relação com o que é ensinado no colégio e aquelas que estão em pauta por muitos dias. "Não adianta ficar lendo duas horas sem saber o que ler", completa.

OKADA, Ana. Como as notícias recentes podem cair no vestibular. UOL. Disponível em: >http://vestibular.uol.com.br/ultimas-noticias/2011/05/05/como-as-noticias-recentes-podem-cair-no-vestibular-do-meio-de-ano.jhtm. Acesso em: 12/05/2011.

0 comentários:

.